• Livro sobre Blogs Evangélicos

    O livro foi escrito por um grupo composto por blogueiros cristãos consagrados e reconhecidos no Brasil, trazendo reflexões valiosas a respeito da utilização dessa ferramenta para a divulgação e defesa do evangelho na internet

  • Selo #20milBlogs

    "A UBE agora tem mais de 20.000 blogs associados. Gloria a Deus! E como manda a nossa tradição rsrsrsr... Publicamos um Selo comemorativo! (Em duas cores)."

  • Aplicativo UBEblogs

    Instale agora este aplicativo

  • Rede UBE

    Afilie-se

  • Quem somos

    A UBE nasceu em 30 de agosto de 2007 com o selo dos três peixinhos. Era um sonho dos irmãos Valmir Nascimento Milomem, Altair Germano e Esdras Costa Bentho de congregar blogueiros evangélicos para publicar conteúdo cristão na internet . Até setembro de 2008 a administração e moderação da comunidade

  • Os selos clássicos do UBE Blogs

    Escolha um dos selos cuja cor mais combina com o layout do seu blog e mostre a todos os internautas que faz parte do movimento virtual de blogueiros cristãos que mais cresce na Blogosfera Brasileira.

  • Salmos 133:1

    "Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união."

Visite o Pesquisa Gospel

+-

(A+) (A-)

domingo, 19 de março de 2017

UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO, EBD Lç 13 19/03/2017

Posted by Pr. Genivaldo Tavares de Melo on domingo, março 19, 2017 with No comments
EBD LÇ. 13 19/03/2017 “UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – A VIDEIRA E SEUS RAMOS.
II – O FUNDAMENTO DA FRUTIFICAÇÃO ESPIRITUAL.
III – CHAMADOS PARA FRUTIFICAR.             
A ÁRVORE E SEUS FRUTOS. SE CORTA-LO DEVORE RAPIDAMENTE OU APODRECE.

  
I – A VIDEIRA E SEUS RAMOS.

1.1 A parábola da vinha.

Começamos bem a última lição do primeiro trimestre e o autor toma a declaração de Jesus mostrando-se como “videira verdadeira” o que poderíamos dizer, ser essa declaração, a porta de entrada para todas as parábolas proferidas pelo Senhor.

Pensando por semelhança, como as raízes absorvem os minerais do solo que através dos vasos lenhosos, alimenta os galhos e consequentemente as folhas e os frutos produzidos, assim, nada funciona a quem está fora do tronco da videira. Nada recebe e nada pode dar.


1.2 Condição para ser produtivo.

Várias parábolas do Senhor estão ligadas a produtividade inclusive a figueira amaldiçoada no caminho entre Betânia e Jerusalém. Mc. 11:14.

“Sem mim, nada podeis fazer”  Jo. 15:5. Quem insiste, literalmente “quebra a cara”.

                   
II – O FUNDAMENTO DA FRUTIFICAÇÃO ESPIRITUAL.

2.1 Firmados no amor de Cristo.
  
O resultado dessa semente chamada amor, se é que a temos, pois o que confirma sua presença em nossa vida é o agir de forma semelhante a Cristo. Fil. 2.

Neste ponto o autor ressalta o amor de Cristo e o que ele fez para nos salvar. A Bíblia declara que devemos dar a nossa vida pelos irmãos.  Consideremos João 3:16 e IJoão 3:16.

Se uma árvore é conhecida pelos seus frutos, concluímos que se não for achado frutos na vida de quem quer que seja, esse tal não é dele nem o conheceu. 
                                                          
Simples assim.

2.2 Por que o amor é a base da frutificação?

O amor é o combustível que nos faz movimentar por entre os necessitados, pela igreja, família e trabalho, deixando rastros de benevolência.

Quando o amor está no lar, a resposta é a vida longa e saudável do cônjuge e da família.

Na igreja reflete o bom relacionamento entre os crentes e estes com o pastor.

2.3 Cheios do Espírito e do amor.

Já foi explicado em outras ocasiões que o “Espírito” com “E” refere-se sem ao Espírito de Deus, ou de Cristo ou o Consolador.

Enchendo-nos do Espírito consequentemente seremos cheios do amor.

III – SOB A TUTELA DO AMOR, REJEITEMOS AS OBRAS DAS TREVAS.
                                             
3.1 Revestidos do amor.

Texto um pouco mais longo onde o autor revela o que tem em nossa vida como resultado do revestimento associado ao conhecimento da palavra e o crescimento espiritual.

Perceba-se que muita gente vive um evangelho equivocado, totalmente destituído da necessidade de estar e permanecer revestidos bem como do crescimento espiritual que só acontece se houver um bom ensino bíblico.

O que de bom a acontece em nossa vida, o autor descreve em três pontos:

a) Amor estreito com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo.

b) Um relacionamento amoroso, protetor e respeitoso com a esposa e vice-versa.

c) Um bom relacionamento com os filhos que os permita crescer, física, espiritualmente, intelectualmente e com acesso as melhores condições de vida.

3.2 Se a Palavra estiver em nós.

Interessante abordagem do autor onde declara que é a condição de sermos ouvidos nas orações e cita João 15:7.

 Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.”.

Há diferença entre este ensino e o que se ensina por aí, no sentido em que o crente pode pedir tudo e até intimar Deus mediante textos isolados da bíblia notadamente das promessas vetero-testamentárias endereçadas unicamente a “casa de Israel”.

Não se faz confrontação entre a vida do crente e o dever de obedecer a Palavra de Deus.

3.3 Cumprindo a Lei.

O cumprimento da lei não se refere somente a Lei de Deus, mas a Lei dos homens.

Sem amor e sem respeito que é também um fruto e natureza espiritual, as transgressões se tornam frequentes na vida dos homens.

Outro aspecto deste ponto, “cumprindo a lei” põe de lado a pretensão de alguns que tentam forçar ao cumprimento de pontos isolados dos dez mandamentos ou das leis complementares encontradas no Pentateuco.

Quando Jesus disse que não tinha vindo ab-rogar ou pô-la em desuso, mas cumprir a Lei. Mt. 5:17, deixou muito claro que o amor nos coloca  a serviço, naturalmente.


Alguns ensinam que as leis cerimoniais tinham sido abolidas pelo Senhor e que o decálogo não e devia ser obedecido; assim é que muitos acham que precisa guardar o sábado. Oras!  Não se pode pensar em guardar um mandamento sem viver sob os demais.

De sorte que o cumprimento da Lei é o amor. Rm 13:10.

quarta-feira, 15 de março de 2017

QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA. EBD Lç.12 19/03/17.

Posted by Pr. Genivaldo Tavares de Melo on quarta-feira, março 15, 2017 with No comments
EBD LÇ. 11 19/03/2017 “QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – A SINGULARIDADE DO AMOR ÁGAPE.
II – AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO.
III – SOB A TUTELA DO AMOR, REJEITEMOS AS OBRAS DAS TREVAS.

O amor socorre o aflito, une pessoas e afasta o que aterroriza. Quando falta, falta tudo. 



I – A SINGULARIDADE DO AMOR ÁGAPE.  

1.1 Amor, um aspecto do fruto.

Transcrevo abaixo o texto para que o professor visualize alguns pontos interessantes considerados pelo autor neste tópico:

Lembro-me quando jovem,  a primeira vez que li este versículo e por algum tempo, achei estranho a razão de haver sentimentos diversos como “fruto” e não “frutos” do espírito.

FRUTO -  A melhor definição está como: Resultado ou consequência de alguma coisa.

FRUTO E NÃO FRUTOS – São sentimentos diversos que juntos declaram a completa natureza cristã de quem experimentou o novo nascimento, foi perdoado pela obra da cruz e vive em novidade de vida como filho de Deus.

IJo. 3:2 – “(...) Agora somos filhos de Deus...”

Rm 6:4 “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.”.
              
Quando falamos do homem interior e não do homem intelectual ou moral, todos os bons valores se manifestam em sua natureza com o que recebeu de Deus sendo o primeiro, o “AMOR”.

Pelo texto compreendemos que não pode haver dois ou três sentimentos e faltar o restante.
                    
Gl. 5:22. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.”.

Neste ponto o autor explica a definição grega para o amor enquanto na língua portuguesa tudo é amor, até praticar sexo. Para os gregos:

Ágape para o amor divino e mesmo o amor que nos envolve na vida cristã.

Philéo para o amor familiar e entre amigos.

Eros para o amor entre cônjuges e o que se relaciona com sensualidade ou erotismo.



1.2 O amor ágape.


O amor mostrado na Bíblia, “ágape”, define bem a nossa relação com Deus como também a nossa relação de convivência espiritual na igreja ou seja, vivemos em amor ou não vivemos.


Não há qualquer vínculo entre nós os crentes, sem o amor. Observe que o amor na essência é o amor de Deus e o seu amor foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Rm 5:5.


1.3 O amor ágape derramado em nós.

Neste ponto cabe perguntar se ao nascermos, trazemos o amor e com que tipo de amor nasceu?!

O homem nasce com sentimentos contidos que crescem e amadurecem na medida do crescimento físico e moral. Tudo deve crescer conosco, porém há forte dependência do meio ambiente e da educação que recebemos.

Lembrar ainda que “podemos” receber uma boa carga de herança moral dos nossos pais, mas toda boa dádiva e todo dom perfeito vem de Deus, do Pai das luzes. Tg. 1:17.

                   
II – AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO.

2.1 O amor de Deus.

Deus mostrou o seu amor  incondicional, sublime, maravilhoso e dele próprio, pois Deus é amor   IJo. 4:16.

O amor condicional é a proposta para que o homem permaneça nele.

Exemplo?  Jo.14:21 “... aquele que me ama, será amado de meu pai...”.
                      Pv. 8:17 “Eu amo os que me amam...”.

O amor a Deus deve ser absoluto. Não tem barganha; amamos acima de tudo e de todos ou não amamos.

O homem não  demonstra pleno amor a Deus no momento em que elege no seu coração, figuras da mais alta preferência e importância;  seja um pregador, cantor, pastor ou qualquer outra personalidade do mundo midiático. 

Midiático – Os que vivem sob holofotes nas mídias.       

Há uma fórmula pela qual avaliamos o nosso amor para com Deus e ela é infalível:
                
IJo. 4:20 “ (...)      Quem não ama a seu irmão, a qual viu, como pode amar a Deus a quem não viu?”.

Dizer que ama a Deus e falha quando precisa demonstrar amor ao seu irmão faz de si, um mentiroso.
                                                                                

2.2 O amor a si mesmo.

Recomendo a leitura deste ponto que é curto e está muito bem esclarecido. O que acrescento aqui deve alcançar quem não frequenta EBD consequentemente, não tem a lição.

O autor inicia este ponto dizendo que amar a si próprio pode parecer narcisismo.

Narcisismo. Termo usado pela psicanálise para definir uma pessoa que nutre paixão por si própria e de forma exagerada.

Ter amor por si mesmo, é preservar-se de todo  mal como daquilo que possa lhe causar dano sendo também a manifestação sincera interior de sentir-se bem em todos os sentidos.

Quando faltamos com amor próprio? Quando só vemos erro e coisas erradas em nós.
                                                 
Quando cremos no amor e no perdão de Deus e não aprendemos a nas perdoar.

Sou o mais próximo de mim mesmo. Se tudo estiver bem comigo, farei que tudo esteja bem com quem depende de mim.

2.3 O amor ao próximo.

Quando ofereço ao serviço social da igreja os pacotes de pó de café necessários ao atendimento, faço questão de comprar o mesmo café que tomo na minha casa; esse é o princípio.

Jamais darei a outro aquilo que desprezo, que não tenho prazer ou gosto.

Jamais tratarei o semelhante da maneira como alguém me tratou e não gostei.

A “Parábola do Bom Samaritano”  Lucas 10 foi proposta pelo Senhor para responder toda e qualquer pergunta sobre o amor ao próximo.

Se a  esposa ama com esse amor ágape, ela não achará defeitos nem motivos para separação.

Se o esposo ama a esposa com o mesmo amor, não achará defeitos nela nem motivos para separação.

Aquele que aborrece o seu irmão não tem permanecente nele a vida eterna.   IJo.3:15

                            Simples assim.


III – SOB A TUTELA DO AMOR, REJEITEMOS AS OBRAS DAS TREVAS.

                                               
3.1 Debaixo da tutela do amor.           

O autor explica o significado de “tutela” nesse contexto como sendo o encargo ou dever que temos sobre outro; proteger, cuidar, querer o bem e nesse ponto, muitos falham por pura desatenção com os conselhos de Deus vistos e lidos na sua palavra.

Eu penso que o descuido acontece por falta de leitura bíblica, de oração e principalmente de amor a própria alma, sabendo que disso resulta a minha melhor relação com Deus.

3.2 Amor, antídoto contra o pecado.

Recomendo a leitura em classe, do maravilhoso e curto comentário do autor nesse ponto.  Vou publicar um pouco:

Escreveu o autor: “Quem ama não trai o cônjuge, não mata, não rouba, não cobiça  e etc”.

Errou?! Conserte de forma absoluta com Deus e não pratique aquilo que pode  comprometer a salvação ou seja, persistir no erro.

Gl. 6:7 “Deus não se deixa escarnecer; aquilo que o homem semear, isto ele ceifará”.

3.3 O amor leva a obediência.

Excelente o comentário do autor neste tópico, pontuando alguns:


-  “Amor fruto do Espírito não é um mero sentimento; envolve ação.”.
- “O que torna uma igreja forte não são os seus recursos financeiros seus líderes e ou número de membros,  mas o amor revelado...”.
- “Quem ama tem prazer em ouvir e obedecer a palavra de Deus”.

Vamos aos fatos:

Fui pastor em várias igrejas e posso garantir que o pastor é o canal de bênção entre Deus e os membros da igreja. Se ele não buscar de Deus, nada terá para o povo.

Se o pastor não for uma pessoa amorosa, a maior parte da igreja negligenciará o amor entre si.

Conheci e conheço pastores que; primeiro ele,  principalmente se a farinha for pouca, só vai dar para o seu pirão.

Quando o pastor mostra amor e cuidado pelos seus auxiliares, a igreja notará e responderá aos apelos.

Se o pastor for amoroso e atencioso com os menos favorecidos,  ninguém obterá sucesso quando tentarem prejudica-lo nas instâncias superiores do ministério.  Já experimentei muito isso e posso garantir que o remédio não falha.


Finalizando:


Não precisamos de igrejas reformadas e sim de mentes renovadas e cativas à Cristo.

quinta-feira, 9 de março de 2017

VIVENDO DE FORMA MODERADA. EBD LÇ.11 12/03/2017

Posted by Pr. Genivaldo Tavares de Melo on quinta-feira, março 09, 2017 with 3 comments
EBD LÇ. 11 12/03/2017 “VIVENDO DE FORMA MODERADA”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – TEMPERANÇA, O DOMÍNIO DAS INCLINAÇÕES CARNAIS.
II – PROSTITUIÇÃO E GLUTONARIA, O DESCONTROLE.
III – VIVENDO EM SANTIFICAÇÃO, DEIXANDO OS EXCESSOS.

        O Senhor preparou um caminho para nós. Devemos segui-lo com fidelidade 


I – TEMPERANÇA O DOMÍNIO DAS INCLINAÇÕES CARNAIS.

1.1 Vivendo de modo sóbrio.

Sou apaixonado pela palavra “sobriedade”; qualidade do que é sóbrio. Veja o que encontrei como definição:


Que se alimenta moderadamente; que bebe com moderação; frugal. Que não se encontra sob o efeito do álcool; que não é alcoólatra. Que se comporta de modo comedido; que se expressa com timidez; que tende a ser sério. Que não exibe suas qualidades; que se comporta de maneira serena; contido ou recatado. Desprovido de afetações; sem enfeites exagerados: apartamento sóbrio. Cuja cor não desperta atenção; de tom suave.

Aquele é sóbrio. 

Todas as doutrinas bíblicas ligadas ao comportamento humano devem assentar-se no princípio da sobriedade. Quem vive isso, não erra ou erra menos.



1.2 Temperança e qualidade de vida.

Se sobriedade tem caráter filosófico de vida, temperança é a forma de viver de quem é sóbrio.

Confesso que não entendo como muitos crentes vivem as voltas em discussões sobre  o que pode ou não fazer, o que é pecado ou não.

Quem se submete a vontade de Deus não busca a sua própria vontade e recusa viver em deleites.  Simples assim!

1.3 A temperança na vida de Cristo.

O comentário do autor neste ponto mostra Jesus isento de toda obra da carne, pois era cheio do Espírito Santo.

Se o Diabo sabendo disso e por conta disso, não tentaria o Senhor como fez, O fato de tê-lo tentado mostra a natureza de Jesus, 100% homem nesta vida tão sujeito quanto nós a pecar. Hb. 1 mostra a força da sua obediência ao Pai e em que isso resultou; Foi-lhe dado um nome que é sobre todo o nome. Fl.2:9.

Novamente podemos dizer que a obediência e submissão ao Espírito Santo nos torna temperantes e vencedor.

                   
II – PROSTITUIÇÃO E GLUTONARIA.

2.1 Fugi da prostituição.

O autor fala do vocábulo “prostituição” invocando o original grego como “porneia”  ou relações sexuais ilícitas.

O cérebro humano funciona como uma antena de captação de mensagem; de sensualidade, erotismo e pornografia. Essas mensagens estão sobre nossas cabeças como nuvens de chuva fazendo o seu trabalho.

Conforme a carga de captação dessas mensagens, temos pessoas envolvidas com todo tipo de sexo ilícito que vai da prostituição a infidelidade conjugal, da pedofilia ao sexo nojento com animais, chamado de zoofilia.



2.2 A disciplina em casos de prostituição.

O autor trata da disciplina na igreja de Corinto.

Nos dias apostólicos, a disciplina era dura e tudo quanto foi feito e escrito, foi para servir de exemplo para nós. Se todo crente morresse por mentir, as igrejas estariam “quase” vazias e muitos púlpitos também.

Ananias e Safira por mentir na contribuição. Atos 5:1.

O jovem citado na lição que mantinha relações com a madrasta ICo.5:1.

E como deveriam ser tratados os que agissem de maneira contrária a sã doutrina.  IIJo. 1:10. Não deveriam saudá-los nem recebe-los em casa.

O pastor de cada igreja responde como anjo da igreja diante de Deus por qualquer negligência nesta parte.

Verdade que se não houver disciplina e isto deve ser exercido com amor e cautela, sem expor publicamente o faltoso por dois motivos:

O faltoso pode levar a igreja a juízo por danos morais; não dá para se descuidar.

O nosso povo ainda não aprendeu a perdoar; em todo o tempo, lançam em rosto.

Via de regra o faltoso conta para a metade da igreja e isso fica sério. A razão é simples: O faltoso só conta para a amiga ou amigo de confiança e logo cai no domínio público, pois na igreja, cada um tem a sua pessoa de confiança.


2.3 A glutonaria e seus males.

Falar em glutonaria talvez não seja o caso, pois somente os jovens em fase de crescimento e que trabalham pesado, comem demasiadamente.

Reeducação alimentar é a palavra de ordem.

A maioria das pessoas obesas  não são por conta de glutonaria com algumas exceções. Nos EUA a luta é para tirar o lanche e o refrigerante; combinação perfeita para a obesidade.

Há muito que abri mão de refrigerantes.

Abri mão de manteiga, margarina e pão, suprindo com, frutas, raízes como: Mandioca, cará, inhame, cuscuz de vapor com ovo mexido, tapioca, as vezes um pão de queijo. Tudo moderadamente e a noite, não mais, feijão, arroz e carne e o custo da alimentação caiu.


Sabemos que a glutonaria quebra a regra do razoável e da temperança.



III – VIVENDO EM SANTIFICAÇÃO E DEIXANDO OS EXCESSOS.

3.1 Agradando a Deus em tudo.

O autor declara que nos nossos dias e por conta do aumento da iniquidade, falta amor genuíno para com o Pai e consequentemente falta  santidade, moderação e bom senso.

Não sei se encontramos a palavra ideal que possa definir como agradar a Deus sem fazer muita força e só encontro como resposta, o amor. Quando amamos a Deus de verdade, recusamos qualquer oferta que nos leve a ofender a Deus.


3.2 Santificação.

A Bíblia declara que sem santificação ninguém verá o Senhor  Hb. 12:14.

Muitos veem santificação como um processo que começa no primeiro degrau da escadaria da penha (365 degraus) e na verdade, quando entramos pela porta do amor incondicional a Cristo, somos agraciados com uma vida justa e irrepreensível.



3.3 Deixando os excessos.

Todo excesso é mau sendo fruto da intemperança; da falta de equilíbrio ou ainda do fanatismo para as coisas espirituais e  falta de sobriedade para as coisas materiais.

Que o Senhor nos guarde.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Ana

Posted by Neiva Silva on quarta-feira, março 08, 2017 with No comments



UMA VIDA SIMPLES, MAS DE GRANDE IMPACTO
“Estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era muito idosa; tinha vivido com seu marido sete anos depois de se casar e então permanecera viúva até a idade de oitenta e quatro anos. Nunca deixava o templo: adorava a Deus jejuando e orando dia e noite. Tendo chegado ali naquele exato momento, deu graças a Deus e falava a respeito do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém.” Lucas 2.36-38

Às vezes, uma vida simples e tranquila provoca um impacto duradouro. Não sabemos mais nada a respeito de Ana; apenas o que lemos nesses três versículos de Lucas. Ainda assim, sua breve aparição foi significativa o bastante para garantir sua menção na Bíblia Sagrada e fazer com que milhões de pessoas lessem a respeito dela.
Ana parece ter levado uma vida tranquila. Sua existência estava centrada no templo onde servia a Deus noite e dia. Sem dúvida, ela estava presente nas cerimônias comuns do templo, mas também se dedicava às disciplinas de oração e jejum individuais.
O encontro entre Ana e Maria no templo deve ter sido comovente. Uma delas era idosa, viúva havia muito tempo, separada pelo Espírito de Deus para um serviço incomum e de rotinas incomuns. Sua vida girava em torno das tranquilas disciplinas da oração e do jejum. A outra era jovem, recém-casada, mas também separada pelo Espírito de Deus para um serviço incomum. Seu trabalho seria caracterizado por fraldas, mingaus e todo resto.
Ana, perto do final de sua vida, viu o início de tudo que tinha esperado. Provavelmente não viveu o suficiente para ver o ministério, a morte, a ressurreição e a ascensão de Cristo. Mas não precisava ver tudo isso para saber quem era a criança que viu diante de si. Ela louvava a Deus por enviar Jesus e falou a respeito Dele para “todos os que esperavam a redenção de Jerusalém”. Ela também falou com Maria! O que teriam conversado essas duas servas do Senhor; uma no final da sua jornada e a outra apenas no começo?
Por que Ana ganhou uma menção na Bíblia? Por que esse simples episódio é tão significativo para que Deus o tenha preservado para que o lêssemos? Talvez seja simplesmente por isto: Ana foi uma mulher que serviu a Deus noite e dia. E viveu em devoção e disciplina. Louvava a Deus e falou a todos a respeito de Jesus. Seria muito bom se a nosso respeito fossem ditas as mesmas coisas.

Fonte:
BÍBLIA DE ESTUDOS DA MULHER
Mulheres que você deve conhecer
Editora Atos




Postagens populares nos últimos 7 dias

Postagens mais acessadas

Conexão de amizades

Google+ Followers

Categorias

abaixo-assinado Aborto ação coletiva Aconselhamento Pastoral Acordo Ortográfico Adoração Africa alerta Altair Germano ANAJURE ansiedade Antonio Flávio Pierucci Apologética Arminismo e Calvinimo Arrecadação de Impostos artte assuntos atuais Ateísmo atitudes audio-books barbárie Belverede Bíblia Bíblia de Estudo Bibliotecas virtuais biografia Blog do Momento Blogagem Coletiva blogagem profética Blogger Blogosfera Cristã blogueiros Boicote Brasil Cadastro Campanhas Caramuru Afonso Francisco Carla Ribas Carlos Eduardo B. Calvani Carlos Nejar Carlos Roberto Silva Carnaval cartunista cristão casamento cenas da vida CGADB charge Charles Péguy cidadania Cinema Cintia Kaneshigue clamor Como criar e editar um blog? comportamento Comunicados Concurso no blog Concursos conectados em oração Consciência Cristã conscientização Contribuição conversão copa 2014 corporativismo corrupção cosmovisão cristã CPAD CPAD News Creative Commons crianças crianças desaparecidas crime criminalidade Cristofobia Culto de Missões debate Denúncias dependência de Deus Desafiando Limites Desaparecidos Desarmamento Desastres Naturais Descriminalização da maconha Deus. devocional Dia da Bíblia dia da mulher Dia das Mães Dia de Missões Dia dos Namorados Dia dos Pais Dicas dinheiro direitos humanos discurso Divulgação Domingo da Igreja Perseguida dons espirituais Dr. Luis Pianowski Drogas DVD e-book EBD Ecologia e Natureza Editorial educação Eleições Eleições 2014 Eliseu Antonio Gomes ENBLOGUE Enquete ensino Entrevistas Escatologia Escola Dominical Escrita Esdras Costa Bentho Esperança Esportes estatísticas Estudos Etica Etica no Blogar Evangelho Evangelismo Evento exegese bíblica Facebook Família família Cristã Felipe M Nascimento Fidelidade e Infidelidade conjugal filhos filme Filosofia fim do mundo formação de opinião frases e citações Frida Vingren futebol Game Geisa Iwamoto Genivaldo Tavares de Melo George Soros Geremias do Couto Geziel Gomes gif Google Friend Connect Google Plus (G+) governo Graça Guerra Cultural Gutierres Siqueira Haiti Hinários História Holocausto homilética HQ Humor idosos igreja Igreja Perseguida Imagens Cristãs inspiração Integridade Moral e Espiritual Intelectualidade Interatividade intercessão internet Internet Evangélica intolerância Islamofobia Izaldil Tavares de Castro J.T.Parreira Jairo de Oliveira Japão jejum Jesus: O Homem Perfeito Jesus. João Cruzué jogos eletrônicos Johann Sebastian Bach José Wellington Bezerra da Costa Judeus judiciário Júlio Severo Jurgen Moltmann justiça juventude Kelem Gaspar legislação LGBTS liberdade de expressão liberdade de imprensa lição de vida Lições Bíblicas Adulto Lições Bíblicas Jovens liderança literatura livro digital Livros Louvor Lucas Santos Luis Ribeiro Luiz Sayão maconha Magno Malta manifestações copa manisfestação Mantenedores UBE Blogs Manual da UBE Marco Feliciano maridos Marina Silva Mark Carpenter Marl Virkler Marta Suplicy Martinho Lutero mártires Maya Felix Meios de comunicação mensagem mentira Missão Missão Integral missiologia missões morte Motivação mulheres música namoro Natal Nazismo Nietzsche Notícias objetivos opinião oração orientação Orkut ortodoxia Pablo Massolar papel de parede parábola páscoa passatempos pastores Paul Tripp Paul Washer pecado pecaminosidade pena de morte perdão Perseguição política Perseguição religiosa Pinterest PL 122/2006 Plágio planejamento planejar PNDH - 3 poder de Deus Poesia polêmicas Política Pornografia portas abertas Português pregação e pregadores Primavera de Sara profecia profecias maias profeta Promoção Protestantes protesto Rankings Recursos Redes Sociais Reflexão Reforma Protestante remissão Repúdio ressurreição Retrospectiva Revista Cristã REVISTA FORBES Robin Willians Ronaldo Côrrea Sammis Reachers Saúde Pública SBB Selos Senado Federal SENAMI Sentido da vida Sidnei Moura Silas Daniel Silas Malafaia sociologia Sorteios STF suborno super-crente Teatro Tecnologias Televisão Templates teologia Teologia Brasileira teologia da prosperidade testemunho Tim Keller trabalho escravo tradução Tráfico Humano tráfico sexual tragédias tribulações triunfalismo tutoriais Twitter UBE UBE 2007 UBE 2008 UBE 2009 UBE 2010 UBE 2011 UBE 2012 UBE 2013 UBE 2014 UBE 2015 UBE 2016 UBE NA MÍDIA UBEbooks UOL utilidade pública Uziel Santana vaidade Valmir Nascimento Milomen viagem missionária vício Victor Leonardo Vida Cristã vida eterna vida real vídeo Viktor Frankl VINACC Vinicius Pimentel voto voto evangélico Wagner Santos Wallace Sousa wallpaper Wellykem Marinho Wesleianismo Wilma Rejane Wordpress Yosef Nadarkhani Zip Net