Visite o Pesquisa Gospel

+-

(A+) (A-)

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS, EBD. Lç 7 para 13/11/2016 (Subsídio).

Posted by Pr. Genivaldo Tavares de Melo on sexta-feira, novembro 04, 2016 with No comments
JOSÉ: FÉ EM MEIO ÀS INJUSTIÇAS
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 07 para o dia 13/11/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – DOIS SONHOS E MUITA CRISE.
II – A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO.
III – SABEDORIA PARA ADMINISTRAR A CRISE.

 A FIDELIDADE A DEUS É A GARANTIA DO PÃO, CASO CONTRÁRIO, SÓ MISÉRIA.




I – DOIS SONHOS E MUITA CRISE.

1.1 A família de José.

Pode-se falar da família de José sem exaurir o fundo histórico e os exemplos que permitem notificar as famílias do presente com o que é possível ou não fazer em matéria de convivência familiar.

Considero a Bíblia o mais perfeito livro de educação familiar em cujas páginas encontramos exemplos bons e ruins capazes de nortear nossos caminhos no sentido do bem se quisermos.

A família de José era composta de 12 homens e uma mulher.

De LIA  (7) -  Ruben, Simeão, Levy, Judá, Issacar, Zebulom e Diná.
De ZILPA (2) – Gade e Aser.
De BILA (2) – Dã e Naftali.
De RAQUEL (2) José e Benjamin.

Zilpa serva de Lia   Bila, serva de Raquel 

O texto bíblico  (Gn.37:3) é muito claro ao declarar que Israel amava mais a José do que a todos os seus filhos, afinal de contas, José era filho da sua amada Raquel, por quem lutara para tê-la ao seu lado. 

Gn.29:20 diz que Jacó serviu sete anos para ter Raquel e isto pareceu para ele, poucos dias  porquanto a amava. Em continuação, conhecemos a “embromação” do pai para liberar Raquel.

O favoritismo é danoso para quem não sabe ao menos disfarçar. 

Quando se trata de assuntos como este, não dá para fazer afirmações com base em experiências próprias, pois cada família tem o seu perfil e nós precisamos respeitar as opiniões.
.
A realidade da vida de Jacó/Israel era uma e cada um tem a sua própria realidade.

1.2 A inveja dos irmãos de José.

Neste tópico o autor reforça o que considera “crise de favoritismo” como agente causador do ódio que tinham por José. Esse favoritismo ficou evidente com o presente e oferece o estudo das causas:

1 – Favoritismo escancarado a todos.
2 – José com certeza não compartilhava dos erros dos irmãos e ainda dava conhecimento ao pai.
3 – Os sonhos foram a gota d’água.

Desígnios de Deus ou fatalidade?

Essa questão traz a minha lembrança as doutrinas da eleição e predestinação e eu me pauto pelos atributos exclusivamente de Deus como o seu controle sobre a vida e a morte:

Deus não caminha ao lado das fatalidades e sim com projetos e José está nesse projeto, portanto podemos afirmar que Deus conduziu a mão de José e o seu caráter foi fundamental. 


1.3 Os sonhos de José.

O autor mostra que os sonhos de José deviam ser guardados por ele para o cumprimento, todavia José contou seus sonhos que envolviam os irmãos de forma muito evidente e os  pais. 
Feixes que se curvavam diante dele no campo e o sonho que relatava o sol, a lua e as onze estrelas. Tudo assim de forma muito clara.

Se isto foi à gota d’água, imaginemos as revelações de Deus no tempo presente e Deus não falha. Assim é preciso ser cuidadoso com as revelações. Há irmãos imprudentes que já saem contando tudo para todos e quando a situação aperta, passa a condição de murmurador do povo.

 Como viver 56 anos dentro de igreja e me refiro à membresia, claro (daqui pra cima a luta é outra). Guardando-se o quanto puder para não ser alvo de censuras.

II –  A CRISE DA COVA E DA ESCRAVIDÃO.

2.1 José é vendido como escravo.

O autor retrata a decisão de agirem contra a vida de José:
- Mata-lo.
- Deixa-lo em uma cova ( o que seria o mesmo ou talvez mais trágico ainda).

Molhariam a túnica em sangue de animal para dizer ao pai que uma fera o tinha matado.

Vendê-lo como escravo foi a ideia de Judá e assim, (*)circunstancialmente passa por ali uma companhia de mercadores. Venderam José por vinte moedas de prata.

Judas vendeu Jesus por trinta moedas de prata.

(*)Circunstancialmente ou providência de Deus?

O que sabemos sobre Deus e nós é que ele nos protege com o seu terno amor.


2.2 José na casa de Potifar.

O trecho do comentário do autor é curto e preciso, podendo ser lido aos alunos com as seguintes considerações:

1 Deus tem o endereço certo para os seus filhos.
2 Quando andamos em obediência à sua Palavra, Ele não é apenas  fiel, ele comanda os nossos passos.

José foi abençoado em tudo e como é bom sentir a mão de Deus nos guiando. O povo percebe um irmão abençoado e glorifica a Deus com ele.

  
2.3  José prosperou na casa de Potifar.

Dois importantes parágrafos apresentam a vida na casa de Potifar, já conhecido pelos leitores da Bíblia: O progresso como servo transformado em mordomo, um tipo de gerente administrativo e financeiro de Potifar e a sedução promovida por sua mulher. 

Sempre que quero pensar na beleza desse antigo povo, fico perguntando a mim mesmo que mulher de hoje eu poderia comparar a Sara ou Rebeca?

Se penso em um homem bonito, capaz de atrair a atenção daquela mulher, a que homem eu poderia comparar hoje?

Só posso resumir essa questão com esta palavra: Não se trata de beleza se bem que ela devia ser uma mulher muito bem cuidada no seu tempo, mas o espírito de prostituição ocupava o seu coração por inteiro e a falta de vigilância tanto derruba homem quanto mulher.

A única coisa que posso dizer como homem é que o amor de Cristo precisa ser abundante em nossa vida e quando a Bíblia fala sobre lavagem da água pela Palavra, a parte do corpo que precisa manter mais limpa é a mente. Hb.10:22.

Há mulheres na igreja que são como qualquer mulher; têm seus momentos de carência, umas suportam com muita facilidade e outras nem tanto. O que não pode é aproveitar-se desse momento para descarregar sua luxúria e vaidade pessoal. Salvação é coisa muito séria. Jesus não tarda a voltar.
  
                     
III –  SABEDORIA PARA ADMINISTRAR A CRISE.

3.1 José é abençoado por Deus na prisão.

A palavra deste tópico é:
Por onde José passava, era bem sucedido.
Interessante que “bem sucedido” no presente texto, não significa ser próspero, mas feliz sobre tudo o que faz e obtenção de  bons resultados. A prosperidade é sempre consequência das nossas realizações.

Tudo o que fizermos bem feito, sem espoliação dos bens alheios, podemos ter a garantia de uma vida abençoada, não importando o lugar que estejamos.

Este tópico é rico em bons exemplos e mostra o que não devemos fazer:
ESPOLIAÇÃO ou ESBULHO – tirar vantagem de alguma forma abusando da confiança ou roubo na mão pesada e ainda, tirar de outro o que não lhe pertence e corrupção.


3.2 José e os dois oficiais de Faraó.

Na prisão, José interpretou os sonhos do copeiro-mor e do padeiro-mor certamente encarcerados por se descuidarem da segurança do Faraó no tocante ao que podia estar envenenado.

Nós podemos confiar que todas as pessoas a quem depositamos alguma confiança possa lembrar-se nos seus melhores momentos?

Os sonhos se cumpriram; o padeiro-mor foi executado e o copeiro-mor foi reabilitado às suas funções.

Esqueceram de José ou melhor, o copeiro esqueceu até que...

Faraó sonhou pesado e aí, o copeiro-mor lembrou-se do ocorrido na prisão e fez com que José fosse chamado pelo rei que ouviu de José tudo o que estava determinado para acontecer.

O que acho interessante é que os fatos ocorreriam como na revelação, mas a mão de Deus estava agindo a despeito do sonho se cumprir. Precisamos entender isto.

Dizem alguns que Deus não nos livra da tentação ou prova, mas nos livra nela.

3.3 Da prisão ao palácio de Faraó.

O sofrimento nos ensina a lidar com as circunstâncias, diz o autor. Esta é a verdade.

O sonho de Faraó revelava dois períodos no Egito:  Abundância e uma crise assoladora.

Este ponto nos dá ideia de como é ser governante sob a direção  de Deus e José governou a terra do Egito, adquirindo tudo o que foi possível para o patrimônio do rei, pois todos iam ao Egito comprar alimento.

Governar bem vai desde a nossa vida, aos nossos empreendimentos, aos bens alheios até o serviço público no tocante ao governo de uma nação.

Deus pode e quer usar seu povo notadamente os fieis para o exercício de grandes obras no meio de um mundo cada dia mais afastado de dele.

A fidelidade de José serve de remédio para nossa alma e o coração dele, que não armazenava qualquer ressentimento o permitiu receber bem seus irmãos e por fim, rever o querido pai Israel.

Sejamos abençoados e abençoadores.
Reações:

0 Comentários:

Postar um comentário

Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios - Salmos 90.12.

▬▬▬▬▬▬▬

Seu comentário é muito importante para nós da UBE Blogs - União de Blogueiros Evangélicos. Portanto, comente com responsabilidade.

Atenção: Não serão aceitos comentários:

1) Ofensivos
2) Anônimos
3) Em CAIXA ALTA.

Administração UBE Blogs

Postagens populares nos últimos 7 dias

Postagens mais acessadas

Conexão de amizades

Google+ Followers

Categorias

abaixo-assinado Aborto ação coletiva Aconselhamento Pastoral Acordo Ortográfico Adoração Africa alerta Altair Germano ANAJURE ansiedade Antonio Flávio Pierucci Apologética Arminismo e Calvinimo Arrecadação de Impostos artte assuntos atuais Ateísmo atitudes audio-books barbárie Belverede Bíblia Bíblia de Estudo Bibliotecas virtuais biografia Blog do Momento Blogagem Coletiva blogagem profética Blogger Blogosfera Cristã blogueiros Boicote Brasil Cadastro Campanhas Caramuru Afonso Francisco Carla Ribas Carlos Eduardo B. Calvani Carlos Nejar Carlos Roberto Silva Carnaval cartunista cristão casamento cenas da vida CGADB charge Charles Péguy cidadania Cinema Cintia Kaneshigue clamor Como criar e editar um blog? comportamento Comunicados Concurso no blog Concursos conectados em oração Consciência Cristã conscientização Contribuição conversão copa 2014 corporativismo corrupção cosmovisão cristã CPAD CPAD News Creative Commons crianças crianças desaparecidas crime criminalidade Cristofobia Culto de Missões debate Denúncias dependência de Deus Desafiando Limites Desaparecidos Desarmamento Desastres Naturais Descriminalização da maconha Deus. devocional Dia da Bíblia dia da mulher Dia das Mães Dia de Missões Dia dos Namorados Dia dos Pais Dicas dinheiro direitos humanos discurso Divulgação Domingo da Igreja Perseguida dons espirituais Dr. Luis Pianowski Drogas DVD e-book EBD Ecologia e Natureza Editorial educação Eleições Eleições 2014 Eliseu Antonio Gomes ENBLOGUE Enquete ensino Entrevistas Escatologia Escola Dominical Escrita Esdras Costa Bentho Esperança Esportes estatísticas Estudos Etica Etica no Blogar Evangelho Evangelismo Evento exegese bíblica Facebook Família família Cristã Felipe M Nascimento Fidelidade e Infidelidade conjugal filhos filme Filosofia fim do mundo formação de opinião frases e citações Frida Vingren futebol Game Geisa Iwamoto Genivaldo Tavares de Melo George Soros Geremias do Couto Geziel Gomes gif Google Friend Connect Google Plus (G+) governo Graça Guerra Cultural Gutierres Siqueira Haiti Hinários História Holocausto homilética HQ Humor idosos igreja Igreja Perseguida Imagens Cristãs inspiração Integridade Moral e Espiritual Intelectualidade Interatividade intercessão internet Internet Evangélica intolerância Islamofobia Izaldil Tavares de Castro J.T.Parreira Jairo de Oliveira Japão jejum Jesus: O Homem Perfeito Jesus. João Cruzué jogos eletrônicos Johann Sebastian Bach José Wellington Bezerra da Costa Judeus judiciário Júlio Severo Jurgen Moltmann justiça juventude Kelem Gaspar legislação LGBTS liberdade de expressão liberdade de imprensa lição de vida Lições Bíblicas Adulto Lições Bíblicas Jovens liderança literatura livro digital Livros Louvor Lucas Santos Luis Ribeiro Luiz Sayão maconha Magno Malta manifestações copa manisfestação Mantenedores UBE Blogs Manual da UBE Marco Feliciano maridos Marina Silva Mark Carpenter Marl Virkler Marta Suplicy Martinho Lutero mártires Maya Felix Meios de comunicação mensagem mentira Missão Missão Integral missiologia missões morte Motivação mulheres música namoro Natal Nazismo Nietzsche Notícias objetivos opinião oração orientação Orkut ortodoxia Pablo Massolar papel de parede parábola páscoa passatempos pastores Paul Tripp Paul Washer pecado pecaminosidade pena de morte perdão Perseguição política Perseguição religiosa Pinterest PL 122/2006 Plágio planejamento planejar PNDH - 3 poder de Deus Poesia polêmicas Política Pornografia portas abertas Português pregação e pregadores Primavera de Sara profecia profecias maias profeta Promoção Protestantes protesto Rankings Recursos Redes Sociais Reflexão Reforma Protestante remissão Repúdio ressurreição Retrospectiva Revista Cristã REVISTA FORBES Robin Willians Ronaldo Côrrea Sammis Reachers Saúde Pública SBB Selos Senado Federal SENAMI Sentido da vida Sidnei Moura Silas Daniel Silas Malafaia sociologia Sorteios STF suborno super-crente Teatro Tecnologias Televisão Templates teologia Teologia Brasileira teologia da prosperidade testemunho Tim Keller trabalho escravo tradução Tráfico Humano tráfico sexual tragédias tribulações triunfalismo tutoriais Twitter UBE UBE 2007 UBE 2008 UBE 2009 UBE 2010 UBE 2011 UBE 2012 UBE 2013 UBE 2014 UBE 2015 UBE 2016 UBE 2017 UBE NA MÍDIA UBEbooks UOL utilidade pública Uziel Santana vaidade Valmir Nascimento Milomen viagem missionária vício Victor Leonardo Vida Cristã vida eterna vida real vídeo Viktor Frankl VINACC Vinicius Pimentel voto voto evangélico Wagner Santos Wallace Sousa wallpaper Wellykem Marinho Wesleianismo Wilma Rejane Wordpress Yosef Nadarkhani Zip Net