Visite o Pesquisa Gospel

+-

(A+) (A-)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA, EBD Lç.1 02/07/2017

Posted by Pr. Genivaldo Tavares de Melo on sexta-feira, junho 30, 2017 with No comments
EBD LÇ. 01  02/07/2017 “INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical,  lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO.
II – A INSPIRAÇÃO DIVINA.
III – INSPIRAÇÃO PLENA E VERBAL.
IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL

 Na Bíblia encontramos a razão da nossa fé e nela nos firmamos como um barco à âncora.



  
Vale usar uma palavra amiga para advertir os professores das escolas bíblicas dominicais. A EBD é; uma tradição e um forte braço de apoio doutrinário das nossas igrejas Assembleias de Deus no Brasil e quiçá, fora dele. Esta série de lições não permitirão “fugas” na responsabilidade do verdadeiro ensino e é o que os alunos esperam dos senhores. Estudem os assuntos e compartilhem se acharem necessário. Já temos muita invasão de ensinadores despreparados, causando evasão de alunos que perdem rapidamente o entusiasmo.

I – REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO.

1.1 Revelação.

A etimologia é a parte da gramática que trata da origem das palavras; estuda sua origem e o significado. A raiz é o elemento originário de cada palavra e consequentemente a sua definição ou significado.

Cremos que a Bíblia, por sua origem e composição, tem sido o livro mais discutido do ponto de vista literário sendo ele, para nós que cremos no seu conteúdo, a mais profunda revelação de Deus ao homem. O autor mostra o sentido da palavra “revelação” como sendo o ato ou efeito de tirar o véu que encobre o desconhecido.    

A revelação tem autenticidade nos fatos ou milagres como pelo cumprimento das profecias.


1.2 Inspiração.

Como no ponto 1.1 acima,  a lição aborda a “revelação” vamos entender como inspiração o que descobrimos nessa revelação, que não é coisa humana, da cabeça de um escritor, pois se fosse, não subsistiria e mais ainda, uma mente por mais brilhante, não comporia o que inclui revelações sobre um futuro distante; do Gênesis aos nossos dias.

Vejam por exemplo na autodefesa da fé, o consistente argumento de Estevão. Em Atos 7 ele começa falando de Abraão antes mesmo de morar em Harã; passou pela vida de Jacó, José, Davi, Salomão terminando pela maravilhosa revelação de Jesus em pé, à destra de Deus.  Só mesmo por inspiração.



ICor. 2:9-10.
“ (...) mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam, mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.”.

Tudo o que quisermos saber sobre a humanidade, vida, morte,  religião ou eternidade, a Bíblia é a única autoridade sobre o assunto. Ninguém precisa apelar para outras literaturas.

1.3 A forma de comunicação.

Vamos separar este ponto rico em informações da seguinte forma:

1  - No processo de comunicação temos as maneiras pelas quais Deus, através dos profetas, fez conhecer a sua vontade e determinação. O autor faz as seguintes referências para esses meios: Palavra, visão, som e imagem.

A revelação dada a Ezequiel sobre o presente e o futuro de Israel dá a dimensão dessa comunicação em que temos;  a palavra, a visão e a  imagem. (Ez.37) “A visão do vale de ossos secos”. A imagem também pode referir-se sobre o que ou para quem,  os elementos da antiga aliança apontavam e representavam. Os hebreus tinham a visão material do que viam  e nós temos a imagem exata das coisas (Hb.10:1).

2 – (Hb. 1:1) o autor declara:
Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho...”.  Pelos profetas, por meio de visões, sonhos ou mensagens diretas.

3 – O autor lembra que as profecias eram geralmente antecipadas com a expressão: “Veio a mim, a palavra do Senhor...

Aproveito para lembrar que profecia no Novo Testamento, não tem a mesma dimensão que as profecias da Antiga Aliança. Basta lembrar a luta de Jeremias com o falso profeta Hananias e o que dava autenticidade ao profeta da Antiga Aliança (Jr.28 1 e segts). Na Nova Aliança, nada pode fugir ao que já está escrito.


II – A INSPIRAÇÃO DIVINA.

2.1 A inspiração divina.

O autor descreve a origem do termo inspiração traduzido do grego na forma como encontramos na Bíblia. Como uso há 52 anos a tradução corrigida de Almeida temos:

(II Tm.3:16-17) “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra
.”.

"TODA ESCRITURA" – Que ninguém pense que houve facilidade em se juntar no Cânon Sagrado, os livros que mesmo com profundo caráter histórico como os livros de Rute e Ester e os de caráter filosófico e de saber como Jó, Provérbios e Cantares entre outros tiveram que ser bem avaliados à luz da revelação do Pentateuco como base e os demais como elementos da construção do maior livro, a Bíblia Sagrada.


2.2 Uma avaliação exegética.

Uma questão sempre me incomodou na matéria que se convencionou chamar de “exegese” que num sentido simplificado quer dizer: A arte de interpretar textos literários.

Exegese é, portanto, uma ferramenta e fica sempre a pergunta: Quem está fazendo uso dela e com que intenção. Há quem queira fazer uso para desqualificar as verdades bíblicas e basta caminhar pelo terreno pantanoso da rede social ou canais do Youtube para descobrir coisas assustadoras, nada recomendáveis e que está ao alcance de todos; com ou sem conhecimento profundo da Bíblia.

Junte-se ao problema das heresias, a má interpretação dos textos.

Quanto a aplicação, fica pior ainda.

2.3 Autoridade.

Aprecio muito a palavra “infalibilidade” no tocante as escrituras.

Neste tópico, além das considerações do autor sobre “autoridade” creio que dois exemplos, além de muitos, servirão para o professor fechar questão com os seus alunos:

NA ANTIGA ALIANÇA. Além dos maravilhosos milagres realizados aos olhos de Israel quero fazer uso de um que representa a palavra de um homem com autoridade sob a Palavra de Deus; Elias e os capitães que foram busca-lo a pedido de Acazias:

(IIRs. 1:9-10) “Então o rei lhe enviou um capitão de cinqüenta com seus cinqüenta; e, subindo a ele (porque eis que estava assentado no cume do monte), disse-lhe: Homem de Deus, o rei diz: Desce.
Mas Elias respondeu, e disse ao capitão de cinqüenta: Se eu, pois, sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos teus cinqüenta. Então fogo desceu do céu, e consumiu a ele e aos seus cinquenta.
”.

NA NOVA ALIANÇA OU NOVO TESTAMENTO.
(Atos 13:8-11) “ (...) mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando apartar da fé o procônsul, todavia Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, e fixando os olhos nele, disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão.”.

E a demonstração de poder na pregação (ICo. 2:4) A pregação de Paulo consistia em demonstração de poder.

Autoridade é isso; a palavra se cumpre.

III – INSPIRAÇÃO PLENA E VERBAL.

3.1 Inspiração plenária.

O autor usa o termo “inspiração plenária” para falar da inspiração plena de todos os livros da Bíblia, sem exceção e sem intensidade maior ou menor de inspiração, inclusive por que quando se fala em “inspiração divina” consideramos questão fechada. Isso para quem crê.

Quem crê, não põe em dúvida nem mesmo o livro de “Cantares” por conta da sensualidade poética que trata do amor da esposa para com o esposo e vice versa.

OURAS INFORMAÇÕES DO AUTOR NESTE TÓPICO:
a – A Bíblia que Jesus e seus apóstolos usaram  era composta do pentateuco, dos profetas e dos Salmos.

b – Que posteriormente, a mesma  Bíblia usada pelos apóstolos já continham as epístolas considerando que Pedro  fez menção delas.  (IIPd. 3:15-16).

c – Os escritos dos Apóstolos se revestiam da mesma autoridade e eram “intercambiáveis”, que significa dizer que eram de uso alternado quanto ao reconhecimento dessa autoridade

d – Podemos afirmar com base no ensino do autor que o antigo e o novo testamento faziam parte da mesma estrutura de comunicação divina aos homens da forma como foram usados pelos apóstolos; um texto do A.T. para justificar posição no N.T.


3.2 Inspiração verbal.
                                                                                             
No tópico anterior, o autor tratou da inspiração plenária de todos os livros da Bíblia não apenas por seu conteúdo e neste, o autor trata da inspiração verbal em que cada palavra foi inspirada pelo Espírito Santo. Vale dizer que qualquer assunto ou tema registrado na Bíblia, decorreu da fala dos grandes líderes bíblicos, profetas e apóstolos.

Primeiro a fala e depois o registro.

Se a fala é inspirada, logo, o registro é inspirado.

Poderia ocorrer de registrarem a fala de formas a prejudicar a inspiração? Humanamente falando sim, todavia é possível notar que a força da palavra registrada exprime a força da fala.

O autor também faz menção da diversidade nos textos sagrados considerando o estilo e a personalidade dos escritores.

Louvamos a Deus por sentirmos a força da inspiração verbal.


IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL


4.1 Proveitosa para ensinar.

Recomendo a leitura da lição neste tópico que é curto e rico.

Já tratei de tantos problemas nas igrejas por onde passei, casais, senhores, senhoras,  jovens e adolescentes. Avaliando tudo, nunca tive dúvidas que a falta de abraçar os ensinos bíblicos sempre foi a causa primaria de todos os males e perturbações.

Há ensinos para todas as situações, mas o importante é que os ensinos funcionam como vacina, para prevenção e depois, para o arrependimento.

Lembramos que há ensinos, não somente para a vida pessoal e familiar, mas para o viver em comunidade, para obreiros, ministros e ministérios.

4.2 A conduta humana.

Não precisamos dar “largas” a observar o mal feito dos outros, todavia a conduta humana diz exatamente o que a pessoa tem lido no seu dia a dia.

É fácil conhecer uma pessoa que tem intimidade com a Bíblia.

É fácil conhecer uma família alinhada com os ensinos da Bíblia.

É fácil conhecer um pregador que tem intimidade com a Bíblia e é fácil conhecer um pastor que conduz a igreja sob os conselhos da Bíblia.


(Fl.3:16-17) “(...)  mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo.  Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.”.


4.3 As traduções da Bíblia.
Vamos facilitar a leitura sugerida pelo autor no tocante a tradução:

(Sl.8:4-6)  “Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste.  Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: (...).”.

Hb.2:6-8 “(...) mas em certo lugar testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que dele te lembres?Ou o filho do homem, para que o visites?  Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos; de glória e de honra o coroaste, e o constituíste sobre as obras de tuas mãos. Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas agora ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas.”.

Percebam que o autor da carta aos Hebreus não usa o que hoje se usa, o (*)“control C e o control V ”. Ele interpretou e traduziu para o seu texto o que constava no original.

(*) Para quem não tem intimidade com informática, é o famoso “copia e cola”.

Não penso que seja necessário abordar sobre a quantidade de bíblias traduzidas e distribuídas pelo mundo todo, mas consta na conclusão, 2.935 línguas por ela alcançadas.


Desejo a todos, uma  boa aula.
Reações:

0 Comentários:

Postar um comentário

Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios - Salmos 90.12.

▬▬▬▬▬▬▬

Seu comentário é muito importante para nós da UBE Blogs - União de Blogueiros Evangélicos. Portanto, comente com responsabilidade.

Atenção: Não serão aceitos comentários:

1) Ofensivos
2) Anônimos
3) Em CAIXA ALTA.

Administração UBE Blogs

Postagens populares nos últimos 7 dias

Postagens mais acessadas

Conexão de amizades

Google+ Followers

Categorias

abaixo-assinado Aborto ação coletiva Aconselhamento Pastoral Acordo Ortográfico Adoração Africa alerta Altair Germano ANAJURE ansiedade Antonio Flávio Pierucci Apologética Arminismo e Calvinimo Arrecadação de Impostos artte assuntos atuais Ateísmo atitudes audio-books barbárie Belverede Bíblia Bíblia de Estudo Bibliotecas virtuais biografia Blog do Momento Blogagem Coletiva blogagem profética Blogger Blogosfera Cristã blogueiros Boicote Brasil Cadastro Campanhas Caramuru Afonso Francisco Carla Ribas Carlos Eduardo B. Calvani Carlos Nejar Carlos Roberto Silva Carnaval cartunista cristão casamento cenas da vida CGADB charge Charles Péguy cidadania Cinema Cintia Kaneshigue clamor Como criar e editar um blog? comportamento Comunicados Concurso no blog Concursos conectados em oração Consciência Cristã conscientização Contribuição conversão copa 2014 corporativismo corrupção cosmovisão cristã CPAD CPAD News Creative Commons crianças crianças desaparecidas crime criminalidade Cristofobia Culto de Missões debate Denúncias dependência de Deus Desafiando Limites Desaparecidos Desarmamento Desastres Naturais Descriminalização da maconha Deus. devocional Dia da Bíblia dia da mulher Dia das Mães Dia de Missões Dia dos Namorados Dia dos Pais Dicas dinheiro direitos humanos discurso Divulgação Domingo da Igreja Perseguida dons espirituais Dr. Luis Pianowski Drogas DVD e-book EBD Ecologia e Natureza Editorial educação Eleições Eleições 2014 Eliseu Antonio Gomes ENBLOGUE Enquete ensino Entrevistas Escatologia Escola Dominical Escrita Esdras Costa Bentho Esperança Esportes estatísticas Estudos Etica Etica no Blogar Evangelho Evangelismo Evento exegese bíblica Facebook Família família Cristã Felipe M Nascimento Fidelidade e Infidelidade conjugal filhos filme Filosofia fim do mundo formação de opinião frases e citações Frida Vingren futebol Game Geisa Iwamoto Genivaldo Tavares de Melo George Soros Geremias do Couto Geziel Gomes gif Google Friend Connect Google Plus (G+) governo Graça Guerra Cultural Gutierres Siqueira Haiti Hinários História Holocausto homilética HQ Humor idosos igreja Igreja Perseguida Imagens Cristãs inspiração Integridade Moral e Espiritual Intelectualidade Interatividade intercessão internet Internet Evangélica intolerância Islamofobia Izaldil Tavares de Castro J.T.Parreira Jairo de Oliveira Japão jejum Jesus: O Homem Perfeito Jesus. João Cruzué jogos eletrônicos Johann Sebastian Bach José Wellington Bezerra da Costa Judeus judiciário Júlio Severo Jurgen Moltmann justiça juventude Kelem Gaspar legislação LGBTS liberdade de expressão liberdade de imprensa lição de vida Lições Bíblicas Adulto Lições Bíblicas Jovens liderança literatura livro digital Livros Louvor Lucas Santos Luis Ribeiro Luiz Sayão maconha Magno Malta manifestações copa manisfestação Mantenedores UBE Blogs Manual da UBE Marco Feliciano maridos Marina Silva Mark Carpenter Marl Virkler Marta Suplicy Martinho Lutero mártires Maya Felix Meios de comunicação mensagem mentira Missão Missão Integral missiologia missões morte Motivação mulheres música namoro Natal Nazismo Nietzsche Notícias objetivos opinião oração orientação Orkut ortodoxia Pablo Massolar papel de parede parábola páscoa passatempos pastores Paul Tripp Paul Washer pecado pecaminosidade pena de morte perdão Perseguição política Perseguição religiosa Pinterest PL 122/2006 Plágio planejamento planejar PNDH - 3 poder de Deus Poesia polêmicas Política Pornografia portas abertas Português pregação e pregadores Primavera de Sara profecia profecias maias profeta Promoção Protestantes protesto Rankings Recursos Redes Sociais Reflexão Reforma Protestante remissão Repúdio ressurreição Retrospectiva Revista Cristã REVISTA FORBES Robin Willians Ronaldo Côrrea Sammis Reachers Saúde Pública SBB Selos Senado Federal SENAMI Sentido da vida Sidnei Moura Silas Daniel Silas Malafaia sociologia Sorteios STF suborno super-crente Teatro Tecnologias Televisão Templates teologia Teologia Brasileira teologia da prosperidade testemunho Tim Keller trabalho escravo tradução Tráfico Humano tráfico sexual tragédias tribulações triunfalismo tutoriais Twitter UBE UBE 2007 UBE 2008 UBE 2009 UBE 2010 UBE 2011 UBE 2012 UBE 2013 UBE 2014 UBE 2015 UBE 2016 UBE 2017 UBE NA MÍDIA UBEbooks UOL utilidade pública Uziel Santana vaidade Valmir Nascimento Milomen viagem missionária vício Victor Leonardo Vida Cristã vida eterna vida real vídeo Viktor Frankl VINACC Vinicius Pimentel voto voto evangélico Wagner Santos Wallace Sousa wallpaper Wellykem Marinho Wesleianismo Wilma Rejane Wordpress Yosef Nadarkhani Zip Net